quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Next Stop: Horizon - The Grand Still


Oriundo da cidade de Gotemburgo (Suécia), o grupo, ou melhor, a dupla Next Stop: Horizon pratica o que podemos denominar de Indie contemporâneo ou pelo menos próximo, já que a sua musicalidade é um misto de gêneros em um só produto. Pär Hagström e Jenny Roos pegam vários subgêneros do rock, folk, pop e adicionam tudo em um liquidificador. Eles estão no terceiro álbum de estúdio. Os primeiros We Know Exactly Where We Are Going (2011) e The Harbour, My Home (2014) receberam ótimos elogios da crítica, os mesmos apresentam uma proposta mais sombria e densa. Já o mais novo lançamento The Grand Still mantém a pegada inicial - uma forma de manter a identidade -, porém, é possível notar uma dosagem a mais de positividade e uma veia de música eletrônica.

Se você pegar The Grand Still para tentar encontrar uma época definida para ele ou associa-lo a algum estilo ou banda ficará confuso. Pär e Jenny fazem os mais diversificados tipos de experiências. Com o novo lançamento é possível notar uma pegada forte de sintetizadores, algo próximo do que o Kraftwerk fazia, mais precisamente no álbum de 1983, Eletric Cafe, mas para embaraçar tudo são adicionados pequenas lembranças da música pop/balada dos anos oitenta, e o leitor pode conferir tudo isso na faixa ‘Where Are We Heading Baby’. E a salada musical não para por aí, ‘When We Get There We Will Know’ tem uma veia mais forte do já citado Kraftwerk, mais pela parte instrumental. Outros grandes destaques da obra são ‘The Waltz’ e ‘Everyone's Earthquake’, esta última é mais indie, ela carrega mais a proposta da nova safra do Indie Rock, algo próximo do que o Arcade Of Fire pratica.

Não podemos deixar de citar ‘The Melting’, uma composição intensa, de grande carga emocional. No contexto geral o mais novo trabalho da dupla sueca é uma viagem musical, ora são aplicadas boas doses de psicodélico e eletrônico, já em outro momento é nítida a presença do rock e pop. Se você procura por algo descompromissado e eclético, talvez esteja aqui o fim da sua busca. The Grand Still foi um grande acerto e quebra de padrão imposto por eles nos primeiros álbuns.